Skip to main content

E-commerce ou marketplace: você sabe qual a melhor opção para as vendas da sua indústria?

Segundo dados do site E-commerce Brasil, os dois segmentos atingiram marcas históricas no Brasil recentemente. Respectivamente, eles cresceram 41% e 52% no ano de 2020.

Isso demonstra que as oportunidades geradas pelas vendas online já não podem mais ser negligenciadas. Contudo, muitos empreendedores ainda têm dúvidas sobre qual canal aderir.

Para garantir uma escolha mais segura e assertiva, a seguir, entenda melhor a diferença entre e-commerce e marketplace e saiba como ter sucesso ao implementá-los no seu negócio. 

E-commerce ou marketplace: quais as diferenças? 

Antes de escolher entre e-commerce ou marketplace, tenha em mente que os dois modelos correspondem às populares lojas online.

Nesse sentido, a experiência dos consumidores é praticamente a mesma. O que muda é o modo de funcionamento das plataformas para as organizações.

Em ambos os casos, as pessoas podem fazer suas compras normalmente. Elas escolhem os produtos, orçam o frete, fazem o pagamento online, acompanham a entrega, e assim por diante. 

Entretanto, no e-commerce, toda a operação fica a cargo da empresa. Ela é responsável pelas demandas, desde a compra até a entrega. 

Por mais que certos serviços possam ser terceirizados, é responsabilidade do negócio só vender o que tem em estoque, lidar com o marketing, controlar os processos de compra, entre outros fatores. 

Já no marketplace, um único site reúne vários sellers. Cada produto à venda pode ser comercializado por uma marca diferente, que deve seguir as regras da plataforma. 

Assim, é comum que a oferta de itens e, consequentemente, o volume de acessos de clientes seja maior. 

Contudo, as organizações devem seguir as determinações do proprietário do site e competir suas vendas com mais mercadorias (às vezes iguais às suas) no mesmo ambiente digital.

Em resumo, é como se o e-commerce fosse sua própria loja. Já o marketplace funciona como um grande shopping center virtual, em que você compartilha sua vitrine com outras empresas.

Por qual deles começar?

Ciente da diferença entre e-commerce e marketplace, lembre-se que não existe “certo” ou “errado” para começar. Tudo depende das necessidades da sua indústria. 

Normalmente, um marketplace já tem um público consolidado, um grande volume de acessos, estratégias eficientes de marketing e uma infraestrutura robusta e segura para a sua loja.

Em contrapartida, esses ambientes compartilhados de vendas não pertencem à sua empresa. Ou seja, você precisa seguir as regras do proprietário e competir com outros vendedores.

Além disso, apesar do tráfego maior, normalmente os clientes não associam as compras à sua marca. Mesmo que seu negócio seja “creditado” na venda, o destaque fica para o próprio site. 

Já no e-commerce, você precisa construir a sua própria audiência, escalar as suas ações de marketing e investir em uma plataforma que seja robusta o suficiente para suas operações. 

No início, isso pode ser mais trabalhoso. Entretanto, seu negócio fica livre de comissões, tem liberdade para divulgar-se da forma que julgar melhor e de vender sob suas próprias regras. 

Sendo assim, na mesma medida em que os investimentos são maiores, a liberdade para trabalhar o seu catálogo da melhor maneira possível também aumenta. 

O e-commerce como ponto de partida

Todos os pontos citados acima reforçam que a capacidade do e-commerce ou marketplace de criar uma experiência satisfatória de vendas varia conforme as pretensões do seu negócio. 

Contudo, em um contexto geral, podemos dizer que o ponto de partida ideal para as indústrias seria uma loja virtual própria.

Isso porque, um e-commerce permite criar um ambiente que de fato é da organização. Assim, é possível estruturar toda a operação sem preocupar-se com mudanças de regras de terceiros.

Uma vez montada, a loja pode então ser estendida ao marketplace. Assim, as chances de conversões do catálogo e a presença online são otimizadas e podem escalar mais rapidamente.

Simultaneamente, o e-commerce pode ir crescendo e conquistando um público maior. Dessa maneira, a empresa atende suas demandas de curto e longo prazo ao mesmo tempo.

Como resultado, é possível criar uma presença multicanal. Caso as regras do marketplace mudem ou se tornem inviáveis, a loja própria já estará consolidada para centralizar a operação.

Ou seja, é o e-commerce que de fato impacta a indústria positivamente, mas isso não significa que você precisa abrir mão das possibilidades oferecidas pelo marketplace.

Com uma boa estratégia, é possível aproveitar as vantagens mais céleres de um canal enquanto prepara o outro para que a sua presença online se torne independente de possíveis limitações.

Como escolher a plataforma ideal de e-commerce ou marketplace para indústria?

Seja no e-commerce ou marketplace, é imprescindível ter uma boa plataforma para lidar com as suas demandas.

Evidentemente, suas operações dependem de uma boa infraestrutura. Para isso, você precisa ter atenção a pontos como:

  • Reputação do fornecedor, que deve ter uma plataforma bem avaliada, robusta e segura;
  • Análise de público-alvo, tanto para determinar a demanda que seu e-commerce deve suportar, quanto para saber quais os consumidores que lhe encontrarão no marketplace;
  • Cálculo dos investimentos, ponderando a implementação do sistema, personalizações necessárias, escalabilidade, eventuais taxas, logística, e assim por diante;
  • Treinamento dos colaboradores, que devem estar aptos a lidar com a plataforma e contar com suporte completo da mesma para eventuais dúvidas ou problemas;
  • Funcionalidades básicas, que vão desde o SEO, templates, integração com redes sociais, com estoques de loja física, chats, entre outras funcionalidades semelhantes, até emissão de relatórios, gadgets de pagamento, integração com ERP, protocolos de segurança, entre outros.

Uma excelente possibilidade para a indústria é transformar seu e-commerce em uma espécie de marketplace específico para seus revendedores. 

Com esse tipo de sistema, você pode vender seus produtos sem criar conflitos com os seus parceiros.

Para isso, a plataforma recebe os pedidos e encaminha as ofertas para quem revende. Isso amplia as oportunidades de conversão, alinha preços, minimiza dificuldades logísticas, entre outras vantagens semelhantes.


A Sellerfy oferece a melhor solução da área e é o parceiro ideal para que sua indústria aproveite as oportunidades do e-commerce ou marketplace. Clique aqui e entenda melhor como o sistema funciona.

Leave a Reply