Skip to main content

A internet iniciou mudando o comportamento das pessoas, e isso fez com que a indústria sofresse uma transformação digital. Por isso, é cada vez mais comum ver empresas migrando para o meio online. E nessa mudança, surgiu o D2C ecommerce

Mas, para vender online, não basta apenas colocar seus produtos ou serviços na internet. É preciso se planejar para construir um negócio de D2C e-commerce sustentável. Assim você saberá o que esperar do futuro e não compromete sua empresa. 

D2C e-commerce: como utilizá-lo para entregar mais valor ao cliente?


Antes de mais nada, é preciso compreender o que o D2C. Esse formato de vendas significa “direto ao consumidor”, e representa a relação da indústria, importadoras e distribuidoras com o seu cliente final, sem envolver uma terceira empresa nesse processo. 

Por isso, o D2C e-commerce vem para agregar maior valor no relacionamento com o cliente e gerar maiores oportunidades com o público. Mas, é importante saber o que levar em conta na hora de escolher uma plataforma de vendas online. Alguns benefícios podem ser, por exemplo:

  • Estímulo de compras recorrentes; 
  • Fortalecimento da rede de venda; 
  • Vitrine completa de produtos;   
  • Possibilidade de locação de produtos; 
  • Maior comunicação com o público; 
  • Atinge o marketplace e outros diversos canais de venda; 
  • Facilidade para testar operações e MVPs; 
  • Experiência do consumidor personalizada.  

5 armadilhas que impedem empresas de crescer com sucesso a longo prazo


Como foi dito, para se ter um D2C e-commerce sustentável, é preciso tomar decisões a longo prazo. Isso porque, para se tornar ou se manter uma empresa de grande escala, o planejamento é a principal chave para o sucesso. 

Algumas armadilhas para evitar nesse processo, são:

Liderar com foco apenas em tecnologia

Se sua empresa não investir também nas áreas de operações e gerenciamento de canais, pode acontecer uma grande falha. Isso porque, o estoque e o planejamento precisam estar alinhados com a comunicação e as vendas. 

Ou seja, garantindo apenas o estoque do varejo, não se atentando ao D2C e-commerce, há grande possibilidade de ocorrer atraso nas entregas. As distribuidoras estarão com foco nas vendas físicas, e sua loja virtual ficará com uma venda limitada, prejudicando sua reputação. 

Então, para evitar esse problema, é preciso pensar no seu e-commerce com prioridade. Uma forma de realizar isso é fazer a vinculação das metas de desempenho interligadas ao resultado dos gestores. Assim, você projeta outros meios de vendas baseados no seu e-commerce. 

Configurar ferramentas tecnológicas sem um direcionamento

Quando você for definir suas ferramentas, não preze para algo a curto prazo ou que sirva apenas para um lançamento rápido. Pois, se isso acontecer, você terá dificuldades no escalonamento, no estoque, nas entregas, além de provavelmente lhe custar mais caro. 

Pense no seu produto mínimo viável (MVP) para realizar testes operacionais. Assim, como programar a arquitetura do e-commerce a longo prazo, evitando contratempos. Dessa forma, você consegue prever os próximos passos, além de conseguir elevar a jornada do cliente. 

Investir pouco em recursos e capacidades

Como foi dito, o investimento normalmente vai inteiramente para a tecnologia, e as outras áreas ficam esquecidas. E quando isso acontece no setor de recursos e capacidades, sua empresa fica dependente do ROI para receber um ticket para então investir nesse setor. Dessa maneira, o crescimento da sua empresa fica comprometido e instável. 

Você pode estabelecer várias possibilidades de orçamentos. Assim, à medida que seu negócio crescer, você consegue manter seus investimentos. Isso é importante, principalmente no início, onde sua empresa estará aprendendo a se relacionar e vender no D2C e-commerce

Aprender sobre as finanças do negócio durante o processo

Quando isso acontece, as decisões passam a ser de curto prazo, assim não é possível saber qual caminho percorrer após. Então, quando algum imprevisto acontecer, será necessário redesenhar o trajeto, gastando tempo e dinheiro. 

É preciso estudar a teoria de crescimento e lucratividade, levando em consideração os lucros e perdas que o e-commerce oferece. Assim, você saberá onde investir, qual parceria escolher, e como escalar seu negócio. 

Construir um novo negócio muito parecido com o principal

Por último, mas não menos prejudicial, está o erro de montar seu e-commerce baseado no seu principal modelo de venda. É necessário compreender que o D2C e-commerce é muito diferente de qualquer outro canal. 

Quando se constrói ele associado a outro negócio, os riscos de diminuir a potência e o desenvolvimento da plataforma aumentam. Isso afeta sua lucratividade, comunicação, relacionamento com o consumidor e prejudica sua marca. 

Faça seu e-commerce diferente dos negócios principais, para que assim você consiga trabalhar com focos diversos, e até atendendo novos consumidores. Assim, sua empresa terá uma comunicação muito mais assertiva, além de evitar problemas burocráticos ou conflitos financeiros. 

Como aplicar o D2C no meu e-commerce?


Agora que você já sabe o que evitar e como solucionar os problemas, chegou o momento de entender como aplicar o D2C e-commerce na sua empresa. O primeiro passo, é: 

Planeje a logística

Investir em automação e softwares é ideal para facilitar a sua logística e garantir um monitoramento das atividades em tempo real. Isso também pode ser aplicado no frete, para que assim diminua as reclamações e erros. 

Conheça o novo cliente

Ele é uma pessoa física, com sentimentos, desejos e comportamentos. Isso é completamente diferente do B2C. Por isso, estude sobre os melhores pontos de atuação, comunicação e marketing. Isso fará você fortalecer o relacionamento com seu consumidor e saber as informações necessárias para sua jornada. 

Pense em estratégias de diferenciação

O D2C e-commerce dá muitas opções para serem trabalhadas. Por isso, busque se diferenciar e optar por novas possibilidades de produtos e vendas. Por exemplo, sua empresa pode lançar um MVP digital único, assim atraindo seus clientes pela exclusividade e personalidade. 

Invista no omnichannel

Estar em muitos ou todos os canais é cada vez mais necessário para as empresas. Por isso, veja a possibilidade de vender em loja física, online, redes sociais, marketplaces, whatsapps, entre outros. Isso melhora a experiência de compra, além de diversificar a informação para eles. Mas saiba como evitar conflitos de canais

Não esqueça dos seus parceiros estratégicos!

Lembre-se de manter o suporte aos seus revendedores na hora de migrar as vendas para o e-commerce. Assim você mantém um bom relacionamento com o mercado e consegue planejar e desenvolver suas etapas com apoio. 

E para isso, você pode utilizar softwares como a Sellerfy. 

Assim, você consegue aumentar suas vendas sem conflito de canais, e fortifica a aliança com seu revendedor. Quer saber mais sobre? Então clique aqui e conheça a Sellerfy!

Leave a Reply